Skip to content

PF investiga corrupção em programas sociais no Rio de Janeiro

0Comments

PF investiga corrupção em programas sociais no Rio de Janeiro

☉ Dec 20, 2023
0 views
Spread the love

A Polícia Federal (PF) cumpre, nesta quarta-feira (20), três mandados de busca e apreensão em uma investigação sobre corrupção e lavagem de dinheiro em quatro projetos sociais no estado do Rio de Janeiro. Segundo a PF, além de envolver o pagamento de propina nos contratos, os investigados direcionavam os projetos para seus redutos eleitorais.

Ainda de acordo com a PF, os crimes envolveram a execução dos projetos Novo Olhar, Rio Cidadão, Agente Social e Qualimóvel, entre os anos de 2017 e 2020. As investigações identificaram que a organização criminosa penetrou nos setores públicos assistenciais no Rio de Janeiro, fraudando licitações e contratos.

Havia, segundo as investigações, desvio de verbas públicas e o pagamento de propina aos envolvidos, com valores entre 5% e 25% do total dos contratos na área de assistência social, os quais totalizam mais de R$ 70 milhões.

A PF não informou se as fraudes eram realizadas na prefeitura do Rio ou no governo do estado e destacou que as investigações seguem em sigilo.

Em 2019, no entanto, a operação Catarata, do Ministério Público Estadual e da Polícia Civil, já havia tido como alvos esses mesmos projetos sociais, que teriam sido usados para fraudes em licitações entre 2013 e 2018. Na época, as investigações envolveram tanto uma fundação estadual (Leão XIII), de 2015 a 2018, quanto duas secretarias municipais da capital, de 2013 a 2017. 

ebc
https://agenciabrasil.ebc.com.br

Fiocruz: internações por gripe e vírus sincicial aumentam no país

Alexandre de Moraes diz que soberania brasileira está sob ataque

PGR recorre para manter contraventor Rogério Andrade com tornozeleira

Município do Rio e TSE lançam pedra fundamental do Museu da Democracia

DPU quer indenização de R$ 1 bilhão da X por danos à democracia

Bilionário mexicano elogia economia brasileira e anuncia investimentos

Justiça condena ex-presidente de conselhos a 26 anos de prisão


Geral