Skip to content

Governo colombiano e grupo ELN concordam em estender cessar-fogo

6 de fevereiro de 2024

 

O governo colombiano e os combatentes do grupo rebelde Exército de Libertação Nacional concordaram em prolongar o atual cessar-fogo por mais seis meses enquanto negociam um acordo de paz.

O acordo foi anunciado terça-feira em Havana, onde os negociadores realizam uma sexta rodada de negociações de paz. O grupo rebelde, conhecido pela sigla ELN, suspenderá os sequestros.

O pacto inicial de cessar-fogo foi alcançado em agosto passado. O prazo expirou na última quarta-feira, mas os dois lados concordaram em prorrogá-lo por cinco dias.

O presidente colombiano, Gustavo Petro, assumiu o cargo em 2022 prometendo pôr fim a seis décadas de guerra entre o governo e vários grupos armados que deixaram mais de 450.000 colombianos mortos.

O governo alcançou um acordo de paz histórico com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, ou FARC, em 2016.

As negociações entre o ELN e o governo quase foram prejudicadas quando o grupo rebelde sequestrou o pai do astro do futebol colombiano Luis Diaz e o manteve detido por vários dias.

 

Governo da Colômbia anuncia que prorrogará cessar-fogo com o ELN por seis meses

Faixa da guerrilha ELN

23 de janeiro de 2024

 

O Alto Comissário da Paz da Colômbia, Otty Patiño, disse esta terça-feira que o governo vai prolongar o cessar-fogo com o Exército de Libertação Nacional (ELN) por seis meses, noticiou terça-feira os meios de comunicação colombianos.

“Isso é concomitante com toda a questão do cessar-fogo e de repente se houver mais necessidade de suspender os mandados de prisão para que as pessoas do ELN possam participar nos processos de paz nas diferentes vias onde o processo está se desenvolvendo, isso será feito”, disse ele.

Posteriormente, a delegação do ELN escreveu reiterou que “há um cessar-fogo que vigorará até 29 de janeiro de 2024”.

Na segunda-feira, as partes iniciaram o sexto ciclo de negociações em Cuba, em que uma das questões cruciais foi, precisamente, a prorrogação do cessar-fogo bilateral, atualmente válido até ao final deste mês.

O cessar-fogo foi anunciado pelas delegações no dia 9 de junho, em Havana. Quase uma semana depois, o governo e a guerrilha concordaram e assinaram nove protocolos para a implementação deste acordo. A princípio, a medida vigoraria por 180 dias e entrou em vigor no dia 3 de agosto do ano passado.

Gustavo Petro, o primeiro presidente de esquerda da Colômbia, restabeleceu as negociações de paz do ELN em 2022, interrompidas desde 2019 durante o governo do ex-presidente Iván Duque (2018-2022) após um ataque de guerrilha que deixou 22 mortos.